Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > História
Início do conteúdo da página

História

Publicado: Terça, 01 de Março de 2016, 14h28 | Acessos: 3791

2ª DIVISÃO DE EXÉRCITO

 

 
Antigo Quartel General (QG) da 2ª Divisão de Exército no período de 1954 a 1996
Rua Manoel da Nóbrega, 1015 - Paraíso - São Paulo (SP).

A 2ª Divisão de Exército (2ª DE), Divisão Presidente Costa e Silva, é um Grande Comando Operativo subordinado ao Comando Militar do Sudeste. Sua designação histórica é uma homenagem a seu mais ilustre comandante, o general e ex-presidente da República Arthur da Costa e Silva.

A 2ª DE tem suas origens em 1908, ano de criação da 2ª e da 5ª Brigadas Estratégicas, sediadas nas cidades de Curitiba (PR) e Aquidauana (MS), respectivamente.

O Decreto nº 11.497, de 23 de fevereiro de 1915, que remodelou o Exército Brasileiro, dissolveu as brigadas estratégicas e criou as regiões militares e as divisões de exército. A 6ª Região Militar (6ª RM) englobava os estados de Mato Grosso, Goiás, São Paulo, Paraná e Santa Catarina. A sede do Comando da 6ª RM foi estabelecida na cidade de São Paulo, juntamente à da 4ª Divisão de Exército (4ª DE). As tropas da 4ª DE eram compostas pelas 7ª e 8ª Brigadas de Infantaria, oriundas das 2ª e 5ª Brigadas Estratégicas. Constitui-se então a 6ª RM/4ª DE.

Em 1919, a 6ª RM/4ª DE deu origem à 2ª RM/2ª DE. Em 1921, fruto da constante evolução doutrinária, a 2ª Divisão de Exército foi transformada em 2ª Divisão de Infantaria (2ª DI), constituindo-se a 2ª RM/2ª DI.

Em 1932, o 4º Regimento de Artilharia Montada, orgânico da 2ª RM/2ª DI e sediado em Itu (SP), participou ativamente do maior movimento armado interno do Brasil no século XX, a Revolução Constitucionalista de 1932.

Entre 1943 e 1945, tropas da 2ª RM/2ª DI integraram a Força Expedicionária Brasileira no Teatro de Operações da Itália, no maior conflito do século XX, a Segunda Guerra Mundial. O 6º Regimento de Infantaria – atual 6º Batalhão de Infantaria Leve, situado em Caçapava(SP) –, o 1º Esquadrão de Reconhecimento – atual 1º Esquadrão de Cavalaria Leve, sediado em Valença (RJ) – e o atual 20º Grupo de Artilharia de Campanha Leve, de Barueri (SP), foram algumas das unidades que participaram do esforço de guerra contra o nazi-fascismo.

O Decreto nº 31.688, de 29 de outubro de 1952, desmembrou os Comandos da 2ª Divisão de Infantaria e da 2ª Região Militar. O Comando da Zona Militar do Centro, origem do atual Comando Militar do Sudeste, passou a enquadrar os dois grandes comandos (2ª DI e 2ª RM). Por essa razão, 29 de outubro de 1952 é considerada a data de criação da 2ª DE.

Após ocupar instalações nas cidades de Lorena (SP) e Osasco (SP), o Comando da 2ª DE – ainda sob a designação de 2ª DI – instalou-se novamente na capital paulista. Ocupou inicialmente instalações na Rua Coronel Oscar Porto, 487 e, posteriormente, na Rua Padre Manuel da Nóbrega, 887, juntamente ao 2º Esquadrão Mecanizado.

Por um curto período, de 12 de novembro de 1955 a 16 de janeiro de 1956, o General de Brigada Arthur da Costa e Silva assumiu o Comando da 2ª DI, sucedendo o General Tasso de Oliveira Tinoco.

Em fevereiro de 1959, já como General de Divisão, Costa e Silva assumiu novamente o Comando da 2ª DI, desta vez recebendo-o do General de Divisão Nestor Penha Brasil.

Em Decreto Reservado nº 01, de 11 de novembro de 1971, mudou sua denominação para 2ª DE.

Finalmente, em 24 de janeiro de 1996, ocupou definitivamente sua sede no Quartel-General do Ibirapuera, compartilhando suas instalações com o CMSE e a 2ª RM.

Atualmente, a 2ª DE tem como GU a 11ª Brigada de Infantaria Leve – Brigada Anhanguera –, com sede na cidade de Campinas, e a 12ª Brigada de Infantaria Leve (Aeromóvel) – Brigada Fornovo di Taro –, com sede na cidade de Caçapava; e como OMDS, o 12º Grupo de Artilharia de Campanha – Grupo Barão de Jundiahy –, com sede na cidade de Jundiaí, e o 2º Batalhão de Engenharia de Combate – Batalhão Borba Gato –, com sede na cidade de Pindamonhangaba.

Fim do conteúdo da página